26 de setembro de 2015

Abastecimento de água: a solução está no estudo e no correto manejo das bacias hidrográficas


“É preciso que as pessoas deixem de mergulhar nos rios para mergulhar nas suas bacias.”

(Osvaldo Ferreira Valente – Engenheiro Florestal, professor da Universidade Federal de Viçosa)



Bacia Hidrográfica

É uma área natural onde ocorre a captação das águas das chuvas devido a características especiais - geográficas e de relevo.

Seus limites são definidos pelos pontos mais altos dos montes ou montanhas.

Dentro de uma bacia uma parte das águas infiltra-se no solo abastecendo o lençol freático e outra parte é drenada superficialmente por um curso de água até sua saída da bacia, no local mais baixo do relevo, ou seja, na foz do curso de água (rio ou mar).

São as bacias hidrográficas que mantêm os cursos de água, sejam eles um córrego, riacho, ribeirão ou um grande rio. Isto significa que para manter ou aumentar a produção de águas é preciso preservar e cuidar das bacias.




Caracterizam as Bacias Hidrográficas


Divisores de águas:
crista ou ponto mais alto das elevações (morros ou montanhas) que separam a drenagem de uma e outra bacia.

Fundo do vale:
áreas adjacentes a rios ou córregos e que geralmente sofrem inundações.

Sub-bacias:
bacias menores, geralmente de algum afluente do rio principal.

Nascentes:
local onde a água subterrânea brota para a superfície formando um corpo d’água.

Áreas de Recarga:
locais onde a água penetra no solo recarregando o lençol freático.

Áreas de descarga:
locais onde a água escapa para a superfície do terreno, vazão

Perfis hidrogeoquímicos:
o estudo do perfil hidrogeoquímico permite avaliar a qualidade da água subterrânea.

Intervenções humanas que prejudicam as bacias:
  • Desmatamento e incêndios: diminuição da infiltração e escoamento superficial das águas, erosões.
  • Grandes movimentações de terra: erosões.
  • Construção de canais: diminui a capacidade de escoamento das águas.
  • Lançamento de resíduos tóxicos provenientes de práticas industriais, agrícolas e pecuárias: poluição / contaminação.
  • Despejo de esgotos domésticos: poluição / contaminação.
  • Construção de diques e barragens: modificam o leito dos rios e afetam todo o ecossistema da região.


Como evitar a degradação das bacias hidrográficas ou O correto manejo das bacias hidrográficas para a produção de águas

As crises de água existem porque ainda não respeitamos os conceitos de hidrologia referentes às pequenas bacias, onde tudo começa, e não aplicamos os princípios e as tecnologias necessárias para os seus manejos.

O correto manejo das bacias hidrográficas passa por receber os volumes de chuvas anuais e processá-los adequadamente, evitando cheias e inundações e armazenando água nos aquíferos para as demandas dos períodos de estiagens.

Políticas Públicas


Somente cercar e plantar árvores não garante o aumento da produtividade de água.

As áreas ciliares não podem ser responsabilizadas pelas quantidades de água produzidas pelas bacias, pois elas representam no máximo 10% das superfícies das mesmas.

Por outro lado, numa área degradada, ou de culturas agrícolas que explorem pequenas profundidades de solo, poderá haver transferência de muita energia para a floresta que, ao explorar camadas mais profundas do solo, poderá provocar altas taxas de evapotranspiração, dificultando o armazenamento de água nos aquíferos subterrâneos.

As políticas públicas para a solução da crise hídrica devem contemplar:
  • Estudo hidrológico do comportamento das bacias formadoras do sistema, incluindo informações sobre geologia e solos e procedimentos adotados no uso da terra. 
  • Aspectos socioeconômicos dos ecossistemas familiares, principalmente dos que ocupam áreas rurais. 
  • Fixação de metas de produção de água para os próximos cinco anos com o dimensionamento das estruturas de recarga artificial de aquíferos.

Medidas para a produção de águas:
  • Cercas e plantio de árvores em áreas de recargas, nascentes e cursos de água
  • Adoção de tecnologias de abastecimento artificial de aquíferos de acordo com os princípios hidrológicos:
    • Terraços de bases estreitas nas encostas
    • Caixas de captação de enxurradas nas áreas mais torrenciais, ou ao longo de estradas
    • Barraginhas em áreas mais planas ou ligeiramente onduladas
  • Adoção de práticas vegetativas: 
    • Cultivos em contorno
    • Rotação de pastagens
    • Plantios diretos
  • PSA - Pagamento de Serviços Ambientais e conscientização dos produtores rurais: suporte técnico e financeiro aos donos das propriedades onde nascem e correm os pequenos cursos d’água.
  • Assessoria especializada em produção de água: repasse de recursos arrecadados com a cobrança pelo uso da água para assessoria em hidrologia aplicada às pequenas bacias.


Como a cidade pode contribuir:
  • Construção de sarjetas drenantes
  • Calçadas com áreas verdes
  • Adoção de pisos permeáveis
  • Construção de cisternas de infiltração junto às construções

Curiosidade:

As bacias da região sudeste estão sendo usadas no seu limite uma vez que abastecem mais de 42% da população brasileira.


Fonte: Instituto Humanitas Unisinos - http://bit.ly/1OYRiw1

Um comentário:

  1. https://www.facebook.com/ZEPAM-das-Águas-Botucatu-489039644603892

    ResponderExcluir

Assine seu comentário.Somente comentários ofensivos ou não assinados não serão publicados.Obrigado por participar.